sábado, 7 de novembro de 2015

Amanhecerá/Luiz Raimundo * Antonio Cabral Filho - RJ

AMANHECERÁ
Luiz Raimundo
Organizadores:
José Batista de Carvalho e Marcos de carvalho
Prefácio
Alceu Amoroso Lima
Livraria Editora Cátedra 
Rio de Janeiro 1976
*
 nasceu em 05 de maio de 1948, na cidade de João Pessoa - PB, não fornece detalhes da sua migração para o Rio de Janeiro, mas uma vez aqui, foi cursar faculdade, integrou as lutas estudantis da década de 70, participou da poesia marginal, imprimia seus livros em mimeógrafos e saía vendendo-os pela noite carioca, entre recitais e vinhos. Faleceu em 03 de novembro de 1973, após defrontar-se mais uma vez com a esquizofrenia.
*
EXTREMA LUCIDEZ

a lúcida loucura me domina inteiramente.
aqui, agora, com o medo próprio da minha classe
marcado pelo estigma  desse tempo
percebo claro a forma dos fenômenos
o que  eles trazem, suas contradições.

não de todos, mas de alguns percebo
o âmago antes mesmo de apalpar a forma.
percebo interconexões não percebidas
por olhos normais e não acostumados
ao exercício frio de vivê-las.

já houve tempo em que eu quis
inutilmente encontrar alguma coisa
que não tivesse em si o seu contrário.
inútil busca, angústia sem sentido:
sou a Contradição humana.
sou tese, sou antítese, sou síntese.
somos contradição.

alcanço, neste momento exato
a lucidez da loucura
e louco, consciente, sou
a loucura da loucura.
*

Raul Seixas Ano 70 * Antonio Cabral Filho - RJ

Raul Seixas
Raul Seixas Fã Clube Oficial
www.raulrockclub.com.br 
Fundador /Presidente: Sylvio Passos
São Paulo - SP

Fonte: 
Raul Seixas Por Ele Mesmo
Org Sylvio Passos
Editora Martin Claret 2007
***

domingo, 28 de junho de 2015

O Melhor De Glauco Mattoso * Antonio Cabral Filho - RJ

Glauco Mattoso
***
O Que É Poesia Marginal
http://pt.slideshare.net/monefontes/o-que-poesia-marginal 
***
Ensaio Sobre Glauco Mattoso
http://pt.calameo.com/read/00189307342274324be0e 
***

terça-feira, 28 de abril de 2015

Poesia Marginal: Pontos De Contato * Antonio Cabral Filho - Rj

Poesia Marginal: Pontos De Contato 
- Antonio Cabral Filho - Rj
********************
ESCRITA - Revista
Mensal de literatura
http://escritablog.blogspot.com.br/
Editor: Wladyr Nader - Sp
&
HELOISA BUARQUE DE HOLANDA, 
http://www.heloisabuarquedehollanda.com.br/category/fotos/page/2/ ,
escritora, professora e antologista,
autora, entre tantas, da
ANTOLOGIA 26 POETAS HOJE, 
lançada em 1976, um marco na história da Poesia Marginal do anos 70.
acesse-a!
http://pt.calameo.com/books/00189307355d0c6c9f168 
***

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Inferno Segundo Hades * Antonio Cabral Filho - Rj

-hadescontos.blogspot.com.br-
***
INFERNO SEGUNDO HADES

Derivar na rota dos passos
até tropeçar no ponto final

pra chamar o trajeto de caminhada
e encerrar o roteiro de suas dúvidas

com a esdrúxula certeza de seguir
desnorteado em mapas imaginários

até encontrar um teólogo no meio do nada
pregando geo-teogonias para detentos

- todos deficientes mentais -
neste hospício chamado Terra Prometida...

... quem duvida jás
agonizando em seu próprio Letes

feito de brasas ferinas
para a churrasqueira de Hades.

***

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Carolina Maria De Jesus Em Trovas * Antonio Cabral Filho - Rj

internet
*
CAROLINA MARIA DE JESUS EM TROVAS
HOMENAGEM AO SEU CENTENÁRIO
1
Carolina, de nascença,
é Maria de Jesus,
sem saber qual a sentença,
carregou a sua cruz.
2
De nascença, foi bastarda,
mas foi seu SÓCRATES NEGRO
quem mostrou-lhe quantas jardas
anda quem não paga arrego.
3
Muito cedo foi pra lida,
suar o sal do seu pão
e conhecer esta vida
nos palcos da exploração.
4
Primeiro, aturou madame,
aguentando humilhação,
mas viu tanta coisa infame,
que virou arribação.
5
Foi fazer do dia-a-dia
pelas vias da cidade
templo de filosofia,
sem implorar caridade.
6
Trabalhou de sol a sol,
como faz o garimpeiro,
mas a pepita maior
foi o seu berço primeiro.
7
Foi pessoa de respeito,
erguendo alto seu pejo,
guardou as mágoas do peito
no seu " Quarto de despejo."
8
Mas Carolina é Maria,
inspiração de Jesus;
a "Casa de Alvenaria"
veio aliviar a cruz.
9
Passou por muitos percalços,
mas nada sujou seu nome;
nem a força dos fracassos
nem os "Pedaços da Fome."
10
Irradiou seus "Provérbios"
no "Diário de Catita",
sem ligar a lei dos verbos
à lei da sua desdita.
11
Da Sacramento mineira
para a "Canindé paulista",
Carolina foi guerreira
metendo a cara na pista.
12
Sempre foi mulher solteira,
mãe à suas próprias custas;
como não foi a primeira,
fez para si leis mais justas.
13
Carolina de Jesus,
Maria livre de laço,
foi livre porque faz jus
ao seu quatorze de março.
14
Carolina proletária,
Maria de Jesus é
também revolucionária
pelas letras de Tomé.
15
Carolina e Castro Alves
trazem bandeira no mastro:
Coincidem nos entraves
e no quatorze de março.
16
Mas Carolina é demais,
extraiu seu pão da rua
e quanto mais ela sua
mais crê naquilo que faz.
***

segunda-feira, 23 de março de 2015

VER...SO CURTO E GROSSO _ Poemas Piadas * Antonio Cabral Filho - Rj

VER...SO CURTO & GROSSO
- poemas piadas –

Antonio Cabral Filho
Editora Costelas Felinas - 2015
*
Como o próprio título enuncia, trata-se de irreverência pura. VER...SO CURTO & GROSSO, de autoria do poeta mineiro radicado no Rio de Janeiro, Antonio Cabral Filho, trás humor de ponta a ponta; aliás, na ponta... principalmente.

O livro constitui-se de poemas minimalistas, em sua maioria, extrapolando aquela linha anarco-filosófica da poesia marginal década de 70. Aliar-se-ia mais a Oswald de Andrade ou Paulo Leminski ou ainda a José Paulo Paes, mas é melhor vê-lo separadamente, pois faz um percurso independente. É que ele se caracteriza por construir seus poemas mais próximo do objeto focalizado, evitando aquela abordagem etérea que tanto caracteriza o humor literário.

Seria melhor conferirmos diretamente, pela amostragem a seguir:


MACUNAIMAICAI

Sacrifício algum,
Vale prazer mais intenso
Que matar o tempo.

*
HAIKAI II

Entre quarto e paredes,
O concreto não conta:
Só suor e lençóis.

*
DESEMBUCHE

Oh, meu caro Gabo,
Ninguém agüenta mais
“Cem Anos de Solidão”.

*

MILITÂNCIA

Os meus sonhos de 68,
Acabaram em 69,
Nas areias de Ipanema
Com uma loura bem suada...

*

LASER

Desescrevo torto,
Sem linha reta,
Anti – discurso roto,
Sem fim nem meta.

*

ASSÉDIO EXPLÍCITO

Inútil
Mona
Lisa
Flertar comigo
Do alto desse olhar
DA VINCI.

Por você,
Dou todas.

*

SARRO

Poema feito nas coxas,
É igual a mulher bonita:
Não precisa entender o enredo,
Basta gostar do arranjo.

*
PROFECIA

Oswald feliz, enfim
São Paulo destrinçado
Por umAlckimim.

*
KATIA PLENA

Flutuar na aula de química,
Com a cabeça cheia
De compostos poéticos,
Não produz nenhuma solução.

*

FALSO DIÁLOGO COM FERREIRA GULLAR

Gullar –

“Eu, como poeta,
Preciso da língua
Para violentá-la.”

Cabral –

Eu, como poeta,
Prefiro violentar
Com a língua.


*
PREZADOS AMIGOS

O livro está no prelo com a Editora Costelas Felinas e estou solicitando a remessa em pequenas quantidades. Portanto, quem estiver interessado, faça o depósito na CEF - conta 00018222 - 0  Ag 2905 - 013, de 20,00 e remeta o comprovante pelo email  seletadiversos@gmail.com . Por favor, precisamos aguardar um tempo para acumular uma quantidade que compense a impressão e remessa. Não se preocupe, pois o original do depósito é DOCUMENTO, com valor jurídico inclusive. Eu nunca faltei com a minha palavra.
*
SAIBA MAIS....

1 - CABARET ESPIRITUAL VOLTAIRE
http://1acf13.blogspot.com.br/ 

2 - CABARET VOLTAIRE BLOG
http://cabaretespiritualvoltaire.blogspot.com.br/ 
***

sábado, 24 de janeiro de 2015

PEDRO LEMEBEL, HASTA LA VITÓRIA !!! Antonio Cabral Filho - Rj

PEDRO LEMEBEL
***
EU PASSARIN
https://eupassarin.wordpress.com/2015/01/24/manifesto/
*
PEDRO LEMEBEL BLOG
http://lemebel.blogspot.com.br/ 
***

Morreu ontem o escritor comunista, Pedro Lemebel, lutador ferrenho contra todas as opressões, em especial, a homofobia, ícone da contra-cultura chilena. Na foto, aparece com a foice e o martelo pintadas no rosto... foi assim que, num encontro clandestino de partidos de esquerda, durante a ditadura de Pinochet, de salto alto, leu o poema abaixo! […]
****